Crônicas,contos e outros textos

PÁGINA PRINCIPAL LISTA DE TEXTOS Gustavo Dourado


COMPARTILHAR FAVORITOS ver profile do autor fazer comentário Recomende para um amigo Assinar RSS salvar item em delicious relacionar no technorati participe de nossa comunidade no orkut galeria relacionar link VerdesTrigos no YouTube fazer uma busca no VerdesTrigos Imprimir

São Miguel das Missões Verdes Trigos em São Miguel das Missões/RS - Uma viagem cultural

VerdesTrigos está hospedado no Rede2

Leia mais

 




 

Link para VerdesTrigos

Se acha este sítio útil, linka-o no seu blog ou site.

Anuncie no VerdesTrigos

Anuncie seu livro, sua editora, sua arte ou seu blog no VerdesTrigos. Saiba como aqui

Cordel para Machado de Assis

por Gustavo Dourado *
publicado em 12/5/2008.

Joaquim Maria Machado
Do Morro do Livramento
Foi um moleque baleiro
E multiás no talento
Um Gênio da Literatura
E luminar do Pensamento...

Em 21/06/1839
Deu-se o seu nascimento
Veio ao mundo lá no Rio
Na Quinta do Livramento
Joaquim Maria Machado de Assis
Expressou o seu pensamento...

Francisco José de Assis
Maria Leopoldina Machado
Genitores do Escritor
Mestre, acadêmico, letrado...
A gênese do romancista
Tenho comigo anotado...

Bem pequeno ficou órfão
De sua mamãe querida
Morre o pai logo depois
Uma machadada na vida...
A madrasta cuidadosa
Deu-lhe amor, pão e guarida...

Não podia estudar
Não teve acesso à escola
Era vendedor de bala
Para não pedir esmola
O preconceito era grande
Ainda não havia bola...

Moleque pobre e mulato
Na Capital Federal
Época de febre amarela
Sem fervor industrial
Tudo era importado:
O Brasil...quase um quintal...


Padre Silveira Sarmento
Deu apoio a Machado
Um garoto inteligente
Logo se tornou letrado
Pra sair do sofrimento
Da triste vida de gado...

Veio de família pobre:
Persistente e esforçado
Teve aos 16 anos
Um poema publicado
O livreiro Paula Brito
Contratou nosso Machado...

Londres ditava a moda
Imperava a escravidão
Fabricaram a dívida externa
A capital submissão
E Machado no cenário...
Fluia arte e criação...

O soneto era "Ela"
E grande coisa não era
Na Marmota Fluminense
Deu asas à quimera
Foi caixeiro e vendedor
E um revisor bem fera...

Na Marmota Fluminense
Começou a escrever
Ano 1855
Como pude perceber
Até 1861
Colaborou pra valer...

Ano 1856
Tipografia Nacional
Manuel Antônio de Almeida
Influência natural
Até 1858
Aprendizado laboral ...

Em 1866
Carolina chega ao Rio
(Irmã do poeta Faustino)
Sempre foi mulher de brio...
Foi na vida de Machado
Sol, poesia, amore mio...

Em 1869
Casou-se com Carolina
Machado, era mulato
Homem de uma bela sina
Lutou contra o preconceito
E conquistou a menina ...

Machado é Rio Antigo
Cosme Velho-Ouvidor
Lá na Rua dos Andradas
Exercitou o Amor
Com a querida Carolina
Um romance alentador...

Histórias da Meia-Noite
Romance, Ressurreição
Morou na Rua da Lapa
Princípio de transformação
Na Rua das Laranjeiras
Deu-se a iniciação...

Poesia, Americanas
A musa a lhe inspirar
Crisálidas foi o início
De um poeta a germinar
Gil, Job e Platão
Pseudônimos soube usar...

Vitor de Paula...Job
Max e depois Lara
Publica com vários nomes
Uma obra que não pára
Criativo e talentoso
Flui o gênio que Deus dara...

República e Abolição
O grito da liberdade
Combate à escravidão
Ares de civilidade
Época de Realismo
De nova sociedade ...

Poesia nova, realista
Distante do Romantismo
Campanha abolicionista
Marx e o Comunismo
Machado além do Real
Bebeu no Naturalismo...

1878-79
Em Friburgo temporada
Tratamento de saúde
Novo alento na jornada
Surge um novo escritor
É primavera - madrugada...

Memórias Póstumas de Brás Cubas
Obra de lapidação
Texto de engenharia
Pensamento e emoção
Criatividade a flor da pele
Dá asas a um coração...

Publica Memórias Póstumas
Na Revista Brasileira
É um livro essencial
Que marca a sua carreira
Na Gazeta de Notícias:
Um cronista de primeira...

Memórias sai em livro
Destaque para Machado
Publica Papéis Avulsos
Texto bem elaborado
Rua Cosme Velho, 18
Muito bem acomodado...

Em Machado há ironia
Dúvida e questionamento
Capitu traiu ou não?
A resposta está no vento
O Amor tudo ultrapassa:
Transmuta-se no sentimento...

Oficial da Ordem da Rosa
Por decreto imperial
Quincas Borba é publicado
Várias Histórias, afinal...
Machado de Assis consagra-se
No cenário nacional...

Funda a Academia
É eleito presidente
Demonstra habilidades
De um escritor experiente
O romance Dom Casmurro
Eis um livro consciente...

Dom Casmurro é publicado
Contos, Páginas Recolhidas
Edita Poesias Completas
Obras-primas sempre lidas
Vejo os seus personagens
Por praças e avenidas ...

Em 20/10/1904
Machado perde Carolina
Companheira solidária
Fraterna e diamantina
Amada de toda a vida
Uma paixão cristalina...

Romance Esaú e Jacó
Faz-se a publicação
Relíquias de Casa Velha
Processo de elaboração
Em 1906:
Recebe editoração...

Relíquias de Casa Velha
Dedicou a Carolina...
"Ao pé do leito derradeiro"
Soneto de verve fina
Uma pérola na poesia...
Reluz a prosa cristalina...

Memorial de Aires, romance
Foi o último publicado
1/06/1908
Pede licença Machado
Para tratar da saúde
Encontra-se debilitado...

Às 3h20 de 29 de setembro
Falece o grande escritor
Era 1908...
Foi-se embora o criador
Saudado por Rui Barbosa
Magistrado e orador...

Ficou a obra-prima
Grandiosa, genial...
Há muito influencia
A literatura nacional...
Seu nome eternizou-se
No cenário universal...

Sobre o Autor

Gustavo Dourado: Bahiano de Recife dos Cardosos - Ibititá (Irecê)/ Chapada Diamantina, Gustavo Dourado (Amargedom). Autor de 11 livros no DF há 32 anos, participa ativamente dos movimentos poéticos, ecológicos, populares, socioculturais. Poeta recomendado pela Unesco.

Site:www.gustavodourado.com.br
Blog:http://www.eunaotenhonome.com.br/gustavodourado/blog/gustavodourado
Antologia: www.ebooks.avbl.com.br/biblioteca1/gustavodourado.htm

< ÚLTIMA PUBLICAÇÃO | TODAS | PRÓXIMA>

LEIA MAIS


Olhos desbotados, por Airo Zamoner.

Edinardo, o padeiro, por Airo Zamoner.

Últimos post´s no Blog Verdes Trigos


Busca no VerdesTrigos