O projeto do filme longa-metragem Justiça! Uma história, a ser realizado no formato de “docudrama”, dirigido pelo documentarista Vicentini Gomez, propõe uma abordagem da história da justiça brasileira e, simultaneamente, tornar conhecido o complexo trabalho de seus operadores.

O projeto será desenvolvido com base na extensa documentação existente nos arquivos históricos do Judiciário, Arquivo Público do Estado de São Paulo, Arquivo Nacional e documentação existente em Museus e Bibliotecas. O filme também reunirá depoimentos de notórios juristas e historiadores e, além das narrativas, contará com cenas reconstituídas por renomados atores do cinema, televisão e teatro, elaborando assim a trajetória da Justiça brasileira desde sua origem de forma clara e compreensível para o grande público.

O longa-metragem, que tem como público alvo especialmente os operadores de Direito, mas que também é dirigido ao público em geral, despertará análises e debates, e certamente contribuirá para o fomento da cidadania.

Além da história do Judiciário, outra proposta do filme é trazer informações básicas sobre a Justiça, analisando a sua importância na sociedade. “A intenção é produzir uma verdadeira aula sobre o Judiciário e torná-la acessível ao grande público”, afirma o idealizador do projeto, o Historiador e Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Roque Antonio Mesquita de Oliveira, atual Presidente da Associação Paulista de Magistrados – APAMAGIS.

De acordo com o Dr. Roque Mesquita, o filme levará à população mais jovem informações sobre o Judiciário e sobre o seu papel na sociedade – “De todos os poderes, o Judiciário é o mais tímido na esfera da comunicação”, afirma. Mesmo no âmbito da formação acadêmica, o filme possibilitará acesso às informações pouco acessíveis e será  um instrumento para despertar mais atenção ao estudo da história do Judiciário, tema atualmente abordado superficialmente  na graduação, em virtude da escassez de material didático.

 Justiça -  uma históriaO filme Justiça! uma história, no formato de “docudrama”, foi aprovado pela ANCINE (Agência Nacional de Cinema) e publicado no DOU (Diário Oficial da União) para exibição nas salas de cinema e será distribuído em DVD para os mais de mil cursos superiores de Direito em todo o território nacional.

O documentarista Vicentini Gomez busca patrocínio e apoios para a concretização deste importante projeto. O Poder Judiciário Brasileiro é um dos maiores – senão o maior – do mundo em volume de processos e na quantidade de jurisdicionados e tem crescido mais a cada ano, com quase 90 milhões de processos em tramitação. O filme certamente contribuirá para a compreensão e valorização de sua importância e papel na sociedade brasileira.

O filme Justiça! Uma história  será marco na comemoração dos sessenta anos da APAMAGIS.

Vicentini Gomez, o diretor

Vicentini Gomez, tem uma longa carreira como autor, ator e diretor, tanto na tv como no teatro e  cinema.  Seus últimos trabalhos na tv Globo foram a participação no humorístico “O Dentista Mascarado” como o Beto Golden Boy e na novela “Avenida Brasil” como Serjão, o sequestrador da Carminha.

No teatro, lotou durante 12 anos com o espetáculo “Confidências de um espermatozoide careca” Em 2004/2005 produziu, roteirizou e dirigiu a série “Consciência na Cultura”, veiculada  pela TV Cultura, realizada em parceria com a UNESP –Universidade Estadual Paulista- onde transformava teses de doutorado e dissertações de mestrado em documentários para a Televisão. Tem produzido e dirigido filmes contando a história das cidades paulistas, em especial as do rota dos Bandeirantes, como Porto das Monções e a série O Baú da História.

 

Getulio

 

1356

imageLincoln César Ferreira Pinto, 42 anos, lança sua primeira obra: “A Lágrima e o Violino”, com 114 páginas, classificado pelo próprio autor, como um romance juvenil.

Lincoln César conta que o livro aborda cenas da vida real, relacionamentos, crises, casamentos desfeitos, discórdias, perdas e ganhos depois de uma separação. “Trata-se de um jovem casal separado, com filhas adolescentes no meio. Um novo relacionamento, intrigas e um mundo profissional sedutor. Enfermidade e morte. Enfim precisam ler o livro e irão refletir sobre muita coisa”, garante.

Revela que o título do livro que é algo bem pessoal, uma homenagem aos seus pais pode explicar seu conteúdo de forma bem fácil. “O violino [representa meu pai que tocava para minha mãe] é a melodia da vida que impõe a magia de suas cordas sobre toda e qualquer lágrima [minha mãe], que precisou falecer para a família se tornar unida. Exatamente o que ocorre no livro”, emociona-se.

O livro pode ser adquirido diretamente com o autor, Lincoln César, ou na biblioteca municipal no Centro Cultural Matarazzo, no valor de R$ 25,00.

Em agosto, a Zahar lança Redes de indignação e esperança, de Manuel Castells, considerado por Luciano Trigo em artigo para o portal G1 "um guia para o presente".

Teórico fundamental para a compreensão do atual contexto social, político e econômico e suas manifestações ainda pouco compreendidas no Brasil e no mundo, Castells teve importante papel no desenvolvimento da sociologia urbana Marxista. Nos anos 1980, introduziu o conceito de consumo coletivo no pensamento contemporâneo e, atualmente, é um dos pensadores mais relevantes para as reflexões sobre o capitalismo informacional, seus rumos e perspectivas.

O papel dos movimentos sociais no espaço público e livre proporcionado pela internet foi enfatizado pelo sociólogo espanhol em sua recente vinda ao Brasil para o projeto Fronteiras do Pensamento. Sua presença na terceira conferência do ciclo de 2013 coincidiu com as primeiras manifestações em São Paulo, referência recorrente em sua fala. Leia transcrição e assista à versão em vídeo no site do projeto. A inevitável comparação com os protestos que recentemente tomaram a Praça Taksim, na Turquia, foi abordada também por Alexandre Matias, diretor de redação da revista Galileu.

Leitura indispensável para quem quer construir um opinião clara em meio à cortina de fumaça informativa que envolve a todos nós nas últimas duas semanas, Redes de indignação e esperança chega às livrarias na primeira quinzena de agosto. (via blog da Editora Zahar).

Confira teaser da obra no blog da Zahar.

VerdesTrigos em 09/07/13

Na contramão de tantos heróis romanescos, Matthieu e Libero não querem mais saber de Paris. Amigos desde a infância, os dois renunciam aos estudos de filosofia e às promessas da metrópole para retornar à Córsega e assumir a gerência de um bar. Em pleno verão, não faltam clientes e garotas, a bebida é farta e o negócio prospera. Tudo vai bem nesse que parece ser o melhor dos mundos possíveis, feito à imagem e semelhança de seus jovens demiurgos. E tudo continuaria assim, não fosse a persistência com que O sermão sobre a queda de Roma cuida de demolir toda e qualquer ilusão de seus protagonistas. Num movimento vertiginoso, o romance de Jérôme Ferrari faz do bar dos dois amigos o ponto sobre o qual se abatem os fantasmas do desejo e da história, os próprios e os alheios. Ao fio dos capítulos, vai se armando uma grande coalizão; as pequenas misérias da vida de aldeia juntam-se às grandes catástrofes do século XX, a queda do império francês mistura-se ao fim do poderio romano, a figura de um avô amargurado confunde-se com a de um bispo da Antiguidade. Tudo para pôr fim à utopia erótica e etílica de Matthieu e Libero – e para fazer de Jérôme Ferrari um dos nomes decisivos da narrativa francesa contemporânea.

O Sermão sobre a queda de Roma

O título é retirado de um sermão de Santo Agostinho sobre a queda de Roma e tem a ver com as amizades que acabam e as ilusões, que se perdem.

O sucesso em França não se fez esperar, com o romance a obter o prestigiado Prémio Goncourt em 2012

Neste livro, o papa Francisco, em um diálogo aberto e muito honesto com o rabino Abraham Skorka, revela tudo que pensa. As reflexões sobre Deus, ateísmo, aborto, morte, fundamentalismo e tantos outros temas dão uma ideia real do que estará por trás das ações do novo papa. Agora que você já sabe quem ele é, conheça também suas ideias, seus valores e sua fé.
O papa Francisco, cardeal Jorge Mario Bergoglio, e o rabino Abraham Skorka, reitor do Seminário Rabínico Latino-americano, são dois grandes incentivadores do diálogo entre as religiões, através do qual buscamos construir horizontes comuns diluindo as particularidades que as caracterizam. Sobre o céu e a terra é o resultado de uma série de conversas profundas, realizadas na sede do Episcopado e na comunidade judaica Benei Tikva. Em seus encontros apareceram as mais variadas questões teológicas e terrenas. Deus, o fundamentalismo, os ateus, a morte, o Holocausto, a homossexualidade e o capitalismo são apenas alguns dos temas sobre os quais nos dão as suas opiniões o novo líder da Igreja Católica e o prestigiado rabino Skorka.

“A obra-prima de Deus é o homem.” – Papa Francisco

“[Este livro] é coisa inteligentíssima.” – Elio Gaspari, jornalista da Folha de S.Paulo e de O Globo

COMPRE e LEIA Sobre o céu e a Terra, um conversa com o Papa Francisco.

image

Blog Widget by LinkWithin