O universo das imagens técnicas O Globo – 07/02/2009 – Por Susana Kampff Lages

Advertência. Abstrair, concretizar, tatear, imaginar, apontar, circular, dispersar, programar, dialogar, brincar, criar, preparar, decidir, dominar, encolher. Música de câmera“. Nesse circuito de 15 verbos no infinitivo, cercados por dois substantivos, circula e flui a poderosa argumentação de Vilém Flusser, intelectual tcheco de origem judaica, exilado no Brasil entre 1940 e 1972. Obra que dá continuidade às reflexões enfeixadas em livro anterior ( Filosofia da caixa preta ), O universo das imagens técnicas (Annablume, 150 pp., R$ 30), libelo entusiasmado e crítico, toma partido – paradoxal e simultaneamente – contra e a favor da penetração da sociedade e da vida humanas pelas “imagens técnicas” e seus respectivos ” aparelhos ” produtores e reprodutores. Quem quiser se debruçar seriamente sobre as implicações filosóficas e estéticas da presença das tecno-imagens em nosso cotidiano, não pode deixar de conhecer a obra desse singular escritor-filósofo, cujo pensamento, além de intrigantemente visionário, estabelece, para o leitor de hoje, um diálogo com o de autores mais conhecidos, como Walter Benjamin, C. S. Peirce e M. MacLuhan.

Blog Widget by LinkWithin

Tags: , , ,

Deixe uma resposta

Twitter Users
Enter your personal information in the form or sign in with your Twitter account by clicking the button below.