Crônicas,contos e outros textos

PÁGINA PRINCIPAL LISTA DE TEXTOS Antônio Ribeiro de Almeida


COMPARTILHAR FAVORITOS ver profile do autor fazer comentário Recomende para um amigo Assinar RSS salvar item em delicious relacionar no technorati participe de nossa comunidade no orkut galeria relacionar link VerdesTrigos no YouTube fazer uma busca no VerdesTrigos Imprimir

São Miguel das Missões Verdes Trigos em São Miguel das Missões/RS - Uma viagem cultural

VerdesTrigos está hospedado no Rede2

Leia mais

 




 

Link para VerdesTrigos

Se acha este sítio útil, linka-o no seu blog ou site.

Anuncie no VerdesTrigos

Anuncie seu livro, sua editora, sua arte ou seu blog no VerdesTrigos. Saiba como aqui

Conteúdo Facista da Telenovela

por Antônio Ribeiro de Almeida *
publicado em 19/6/2004.

O escritor português Jorge Leitão Ramos desencadeou na pátria mãe uma grande e proveitosa discussão com o seu artigo "A Telenovela é o Fascismo", publicado na revista Expresso de oito de junho deste ano. Uma discussão desta é impensável no Brasil onde a telenovela impera nos meios de comunicação e constitui um dos pés do tripé da alienação nacional, sendo, os outros dois, o Futebol e o Carnaval. Fico a cismar como ela atua tão imperiosamente sobre a vida de milhões de brasileiros que regulam seu dia a dia pelo ANTES da novela e DEPOIS da novela. Revistas existem que formulam perguntas e promovem concursos sobre quem seria o assassino de determinada personagem ou se uma personagem ficará com o mocinho ou se será conquistada pelo dinheiro do malvado. E isto é discutido, como se fosse a vida real, nas casas, nos locais de trabalho e nos bares. Não conheço nenhum estudo sério - é possível até que existam e estejam esquecidos nas bibliotecas universitárias - sobre o papel da telenovela na vida dos brasileiros, seja modelando novos comportamentos ou implantando anti-valores em cabeças não críticas.

Quando li este artigo do Leitão Ramos me vi na obrigação de refletir, com os meus leitores, sobre alguns dos pontos que ele desenvolve e que relacionam a telenovela com a forma de vida fascista. Isto, provavelmente, incomodará a muitos e sentir-me-ei satisfeito se um defensor das telenovelas escrever um artigo provando justamente o contrário do que foi denunciado pelo crítico português. Examinarei apenas três pontos:

Ponto 1. A telenovela é o desdém pelo espectador enquanto ser pensante- tudo está digerido; Ponto 2. A telenovela é a interdição da ambigüidade- a realidade é óbvia e Ponto 3. A telenovela é o triunfo das massas, não no sentido democrático, mas no sentido da demagogia- mantê-las amarradas a uma ração insípida e insipiente é a melhor forma de elas nunca saberem que os senhores comem outra coisa.

A telenovela, com o seu vocabulário de poucas palavras, com tomadas de câmara programadas, com a velocidade com que os quadros se sucedem, trabalha, excessivamente, com o despertar de emoções no tele-espectador e impede a reflexão. A psicologia tem demonstrado que, quanto mais intensamente uma emoção domina uma pessoa, menos ela raciocina. O mesmo não acontece, por exemplo, quando se lê um bom livro e o leitor pode reler muitas vezes uma passagem e refletir sobre o que está acontecendo. Nos grandes romances, seja de um Machado de Assis ou de um Josué Montello, nem tudo está digerido. Eles pedem reflexão e existe um perfeito equilíbrio entre pensar e sentir. A telenovela explora mais o sentir do que o pensar, e, isto é um traço do fascismo.

O segundo ponto proposto por Leitão Ramos é com relação à realidade. A ambigüidade é o oposto do que acontece na telenovela onde a realidade é óbvia. Ambigüidade, na filosofia existencialista, é a situação do homem na existência que deve lutar para dar sentido à vida. Na telenovela o que temos são personagens que vivem dilemas cujas soluções o tele-espectador advinha. A ausência desta ambigüidade é outro traço do fascismo.

Finalmente, no terceiro ponto Leitão Ramos aponta que a telenovela oferece às massas uma "...ração insípida e insipiente " que elas devoram e que não permite que elas descubram que os senhores (aqueles que controlam as redes de televisão, que fazem e desfazem presidentes como os mitos nos esportes, na música, etc. ) "comem outra coisa. " Isto me lembra uma pergunta que fizeram, há anos, a um poderoso dono de tv no Brasil se ele assistia as novelas do seu canal. Sua resposta foi muito clara : " Eu nunca assisto tv." Ele, evidentemente, e sua entourage comiam outra coisa, enquanto o povão estava escravo das suas novelas e chorava, suspirava, ria e odiava. E isto é fascismo! Ao leitor deste artigo, que também assiste telenovelas, fica o convite para que confira estes pontos e constate se eles são ou não pertinentes.

Sobre o Autor

Antônio Ribeiro de Almeida: Jornalista e escritor de São José do Rio Preto/SP.

Doutor em Psicologia Social, FFCLRP-USP



< ÚLTIMA PUBLICAÇÃO | TODAS | PRÓXIMA>

LEIA MAIS


Narcisismo só se cura pela dor, por Chico Lopes.

Os germes ao vento e os esforços ordenadores, por Chico Lopes.

Últimos post´s no Blog Verdes Trigos


Busca no VerdesTrigos